terça-feira, 27 de abril de 2010

Doenças de Chagas


A doença de Chagas, também chamada tripanossomíase americana, é causada pelo flagelo Trypanosoma cruzi, o tripanossomo. Foi o médico sanitarista brasileiro Carlos Chagas (1878-1934) quem descobriu o parasita causador e descreveu seu ciclo de vida e o modo de transmissão.

O tripanossomo é transmitido por insetos popularmente chamados de “barbeiros” ou “chupanças”, sendo a espécie transmissora mais comum Triatoma infestans. A doença é adquirida, normalmente, pelo contato das mucosas (dos olhos, do nariz e da boca) com fezes do inseto infectado pelo parasita. Mulheres in festadas podem transmitir o parasita aos filhos durante a gravidez ou na amamentação. Transplantes de órgãos e transfusões de sangue de doadores infestados são outras vias pelas quais pode-se contrair a doença de Chagas.

O barbeiro adquire tripanossomos ao sugar sangue de pessoas com doença de Chagas ou de animais contaminados pelo parasita, entre eles cães, gatos, roedores e diversos animais silvestres, que servem de reservatórios naturais do protozoário. Os barbeiros têm hábitos noturnos, esconde-se durante o dia em frestas, de onde saem, à noite, para alimentar-se de sangue. Depois de picar uma pessoa, geralmente no rosto (daí o nome “barbeiro”), o inseto defeca; se estiver contaminado, os tripanossomos em suas fezes podem penetrar através do ferimento da picada, quando a pessoa coça o local, atingido a circulação sanguínea vai de acesso aos órgãos do corpo.

Nos primeiros estágios da doença, os principais sintomas são cansaço, febre, aumento do fígado ou do baço e inchaço dos linfonodos. Depois de 2 a 4 meses esses sintomas desaparecem. Somente 10 a 20 anos após a infecção é que começam a aparecer os sintomas mais graves da doença; os protozoários estalam-se preferencialmente no músculo cardíaco e causam lesões que prejudicam o funcionamento do coração, o que leva à insuficiência cardíaca crônica.

As lesões do coração e de outros órgãos, como o esôfago e o intestino, são irreversíveis e até o momento não há tratamento eficaz para os estágios avançados da doença de Chagas. Como sempre, a principal maneira de combater a parasitose é adotar mediadas preventivas, que impeçam a entrada dos protozoários no organismo humano. A primeira previdência, evidentemente, é evitar a picada do barbeiro, o agente transmissor (ou vetor) da doença. Como esses insetos se escondem nas frestas das casas de barro ou pau-a-pique, construir casas de alvenaria, sem esconderijos para o barbeiro, ajuda a combater a doença de Chagas. Outra medida preventiva importante é a instalação de cortinados de filó sobre as camas e de telas de proteção em portas e janelas.

Referência: Amabis, Martho. Biologia dos organismos, volume 2, 2ª edição, São Paulo, 2004.

Postado por: Mayara A manda de Oliveira

Alinhar ao centro

Um comentário:

  1. Tem muitos erros de português, as informações são bem simples e de fácil entendimento para leigos.

    ResponderExcluir